domingo, 23 de maio de 2010

Algumas palavras fazem imagem do que está sendo dito Eu vi um mato alto, e lá dentro eu só vi a criatura de quem Paulo falou em Romanos 8, entre tantas palavras Enquanto o sr disse e desdisse - fazendo - (falar versículos soltos), aqui vou eu. Embora não tenha qualquer responsabilidade por Paulo, ele disse: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Por que o sr acha que ele disse isso? Porque ele venceu o costume quanto ao ensinamento. Agora está na hora do sr fazer o mesmo. Esta fantasia de que a igreja domina o povo? Sinto muito, mas foi a igreja que adaptou-se aos membros, com essa idéia de roupa domingueira. O resto dos dias, nudez total? EBDomingueira - É preciso data festiva para crente ir para igreja aprender sobre o que/quem o cobre? ALUNA DE ESTUDO BÍBLICO DIÁRIA. Se se tem disposição para acompanhar, diáriamente, as novelas e/ou seriados, porque EBD só aos domingos, sendo que ele é absolutamente necessário para o crescimento das ovelhas?
Não quero bagunçar a sua página, longe de mim. Mas quando Deus chamou Noé foi porque não havia outro. Quando Deus chama um para fazer alguma coisa para ele é porque não há outro. Por que o Sr acha que ele mandou Jesus? Não estamos mais com tempo de brincar, embora na aparência eu pareça estar brincando. Mas, o sr deve conhecer o ditado que diz: As aparências enganam. O sr conhece a parábola, não, que Jesus ensinou? Aquela que ele diz: Depois de ter enviado muitos servos para tomar o que lhe era de direito, o pai enviou o Filho e os arrendatários não se intimidaram e mataram também a este. Nem mesmo faraó fez isso. Ao invés de matar aqueles que o incomodava, ele só os escravizaram. Era de Faraó que Jesus estava falando? Nao, mas de ´pessoas piores do que ele. Faraó ouviu, desistiu várias vezes e depois perseguiu. Mas Jesus está falando de pessoas que atendem a voz de alguém para proteger a vinha, não com a própria vida, sim para tirar a vida de qualquer um que apareça requerendo-a. Por causa da vinha ele morreu, mas ele mudou o ramo de atividade, criadouro de ovelhas foi o que ele construiu, e fez o mesmo que o Pai, entregou-as para serem guardadas, protegida por alguns, e o que é que se tem feito com elas/delas? O difícil de qualquer trabalho é a rotina. Ela faz com que queiramos cortar etapas. A rotina torna qualquer trabalho cansativo e monótono. Se com ovelhas (animal) o guia tem aquele dia de cansaço, de que "se pudesse não levaria as ovelhas para caminhada", imagine o guia de ovelhas com marcas de Deus, em que o pastor não sabe o tamanho da ida, quanto mais da volta. Todo mundo que trabalha (em qualquer atividade) tem este dia de não querer fazer o trabalho, mas este dia que se deixa de trabalhar chama-se perdas. Uma ovelha não pode conduzir outra ovelha, exceto se ela for muito bem treinada. Uma orquestra, antes de iniciar, há sempre o solista do violino que comanda outros a tocarem a mesma coisa que ele, e eles tocam, não sei se é para verificação. Tudo no mundo é feito de verificação, para se iniciar um trabalho. Mesmo a pessoa mais experiente tem este dia. De: não quero fazer nada hoje. às vezes, o dia se torna irrecuperável. Eu sou uma trabalhadora, eu sei do que isso se trata. Vinde, ovelhinhas do meu Pai. Não é fácil tomar conta do que é riqueza dos outros. Entendeu o que eu disse? Não é fácil tomar conta do que é riqueza dos outros.Com NOé foi assim, com Jesus, também. Uma vinha dá muito menos trabalho, e sabemos que, nem empregado o dono precisa contratar permanentemente, basta contratá-los no tempo certo da colheita. Isso é lucro, isso é vantagem. Mas tomar conta do que é riqueza dos outros? A vinha era riqueza para os outros, mas ovelha, não. Ovelhas é riqueza do dono, o trabalho fica totalmente para o Pastor. Já imaginou o que seria para as ovelhas, um dia sem beber água, um dia sem comer? É o mesmo que deixar o filho um dia sem comer, um dia sem beber. Isso é concebível? É aplicável a que tipo de pessoa? Mas ele disse: A ninguém chame louco. Não se sabe o que passa na cabeça de um louco, eu não sei. Mas para mim, loucura é dar-se ao abandono de si, e do que é seu, e dos outros. Quando a gente só pensa em abandonar nem que seja por um único dia o trabalho que tem a fazer estamos dando apenas uma pequena mostra do que seja loucura. Afinal, porque abandono tem a ver com desespero? Imagine, verdadeiramente, um animal acostumado a viver em conjunto, um dia se perder? Será que ele fica calado? Ou grita com a voz que tem? O significado de star (vou deixar assim)de estar perdido é estar só. E estar só é o mesmo que desorientado.Não sei de ovelhas, mas gatinho, quando está perdido, perdido ou abandonado pela mãe, ele mia, e mia muito, e a sua voz alcança uma grande distância, mas ele fica parado num lugar, como num ponto estratégico para ser encontrado. Eu nunca vi, não sei como filhote de cachorro age. Mas, ovelha (animal) não conheço, mas tenho certeza que ela berra, porque senão seria muito difícil encontrá-la. Porque, para qualquer animal, inclusive o homem, a gente se acha perdido por causa do ambiente adverso. Então, a primeira coisa a se fazer é conduzí-lo a um ambiente que lhe propicie confiança, e isso significa, comida, bebida, espaço e cuidados. Para qualquer animal importante é isso. Quando não é o homem que faz é a natureza que propicia, pois nem todos os animais dependem de guia. Silêncio é sinônimo de: Estou sendo cuidado, para todos os animais, inclusive o homem, mas não é isso que Deus quer de nós. Silêncio, pois Jesus disse: Se estes se calarem, até as pedras clamarão. Somos animais, por causa de Jesus, obrigados a falar. Ou porque o sr acha que ele disse: Por suas palavras serás justificados, por suas palvras serás condenados? SE não falarmos e, publicamente, como ele levará isso a efeito? O Blog é de Pastor? E, pastor descansa? Tem sábado e domingo para ovelhas não comer, nem beber? A ovelha não requer o seu direito? Eu requeiro.BÈÈÈÈÈÈÈÈÈ`. Tô me camuflando, na verdade, quem ouve a minha voz? Eu só sei dizer, estou comendo, estou mexendo, estou verificando, sempre. Aqui tem ou não tem, comida? Qualquer animal faz isso, porque pensou em mim?

quinta-feira, 20 de maio de 2010

o blog/palavras criam o vazio, o espaço. Se o sr não escrever como os seus seguidores farão isso? meu objetivo não é ter meu nome em evidência, sim mostrar de onde vem, ou onde está o cheirinho do mato. Os outros bichos, tipo ovelhas, eu não sei, mas cachorro e gato quando farejam(querem comer mato) é porque o intestino não está funcionando bem. Desculpe, mas a gente tem que aprender com o que tem. O cachorro, ao contrário do gato, coloca pra fora primeiro pela boca, para comer mais um pouquinho de mato.Mas, entendo, que todo animal(inclusive o homem era assim) é assim. Pra comer tem que ser atraído pelo cheiro. Desculpe, o que vou perguntar: Mas, ovelha sai para comer atraída pelo cheiro da comida? Afinal, para que/por que o pastor precisa guiá-la para ela fazer isso?Lá vou eu

quarta-feira, 19 de maio de 2010

O Nosso Deus é soberano Jelb Composição: Wilson Santos O Nosso Deus é soberano. Ele reina, antes da fundação do mundo. O Nosso Deus é soberano. Ele reina, antes da fundação do mundo. A terra era sem forma e vazia, E o Espírito do nosso Deus Se movia sobre a face das águas. Foi ele quem criou os luminares E criou a natureza, e formou o homem. Glória a Deus, por suas maravilhas Pelas suas grandezas. Glória a Deus! Glória a Deus, por suas maravilhas Pelas suas grandezas. Glória a Deus! ===================================== No começo da guerra é assim. DEPOSIÇÃO. Deposição. Não disposição. O que isso lembra ao sr? Sei que militarmente é preciso uma ordem de alguém, hierarquicamente, superior para que isso seja feito. Mas, aqui, veja o que aconteceu. (Fiquei pensando, para onde o enviarei, essas vírgulas são tão informativas, tão sugestivas, não, não tenho para onde o enviar. Vá com seus próprios dedos e veja. {Juízes 7.1-8}. Estamos precisando cantar mais vezes esse corinho na igreja. O nosso Deus... é soberano. Quem está aqui (...)? Estamos falando com quem, de quem, para quem. Ele reina antes da fundação do mundo. Nenhum outro reinará acima dele. Quanto ao homem reinar. Foi ele quem criou os luminares, quem criou a natureza, e formou o homem. A terra era sem forma e vazia e o Espírito de nosso Deus se movia sobre a face das águas. Que pena, nesse negócio não tem sublinhado para eu grifar bem ali. Se Deus tivesse criado a natureza do homem, o homem se rebelaria contra ele mesmo? Jesus argumentou, como um reino pode subsistir contra si mesmo? Acho que nem aquele de quem eu não falo o nome, foi Jesus quem disse, faz isso. Mas nós, nós, amigos, fazemos isso, sim. Como? Por que? Quero uma resposta biblíca. E precisa? Olha ela aí.DE novo pensei num link foi só o tempo de pensar. Quantas civilizações já foram destruídas, sem dizer quantas vezes Deus destruiu vários povos. Agora estamos aí às voltas com possibilidades. Aliás, como sempre foi, desde que o homem reconheceu-se homem. "Quem te mostrou que estavas nu...?" "Disse o homem: A mulher que me deste por companheira deu-me da árvore, e eu comi". "A mulher que me deste por companheira" responderia a pergunta, mas ele fez questão de responder a segunda.Acho que Adão ainda estava meio atortoado, talvez sob efeito do que comeu. Quando a gente quer ser muito perfeito ou fingindo santidade, faz assim, como Adão, pra dar uma de inocente é só colocar o fruto antes do que comeu.Cada qual que sabe como fica depois de comer um fruto tirado de uma árvore. No mínimo com mãos e boca sujas, ninguém leva talher quando vai colher fruta de uma árvore. Depois, o cheiro das frutas é impregnável. Como o homem pode ter pensado que Deus não saberia do seu feito? Afinal, não sabemos se ele já era instruído, quando se quer esconder o que se faz com as mãos e com a boca tem que lavá-los.Gato, ao estilo Salvador Às vezes é bom pensar numa realidade longe da nossa para não ser preciso dizer clique, gambiarra, não é a mesma coisa?

terça-feira, 18 de maio de 2010

Curioso, escrevi presente, passado, futuro, e Jesus não estava neles. Mas, Faraó.
Futuro às vezes é tão visível. Ele surge da necessidade. Não acredito no futuro estático, contado a dias. Eu hoje entrei no site da IBCB, mexi aqui, mexi ali e cheguei a seguinte conclusão: Entrei, ele me identificou, o que falta para ser perfeito? Não ser preciso senha de acesso se ele sabe quem eu sou. É por isso que futuro é o inatingível. Por que? Por causa disso: A necessidade humana de controlar, mesmo através das máquinas. Futuro, meu amigo, chama-se liberdade. A pergunta é, ele/ela virá um dia? Liberdade acontece no pensamento, num lapso de tempo e quem a vê é porque a conhece. O presente choca por causa da pergunta: Quem é essa pessoa? Aí a gente vai para o passado. Ele está tão próximo.

EU GOSTO MUITO DE IMAGENS

até mesmo aquela que desdiz o texto. Esta frase é bem conhecida. "Fulano, está enchendo lingüiça", ou seja; está falando demais para não dizer coisa alguma. Aprender é sempre bom, principalmente porque, independente dos problemas que o cachorro quente cause a saúde comer um de vez em quando (se bem feito e gostoso) é um prazer inenarrável.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

CUIDADO, TEXTO LONGO!

Não minto quanto as minhas palavras. O que digo, é. Quando se trata de "governo", tem-se que estar muito atento. Pastor, não temosdo que nos orgulharmos no que diz respeito a sermos - segundo pastores - fiel de balança em eleições, seja local, seja nacional. Não vou nem perder tempo citando os exemplos que temos colocado no poder nos últimos tempos, pelo menos para mim, desde os últimos 20 anos. O sr mesmo - desculpe, mas tenho que dizer - disse várias vezes, no começo do seu trabalho de pastor que não aceitaria políticos dentro da igreja, subindo ao púlpito, no entanto, fez muito pior que já foi feito, pois até (não sei o termo usado de transferência de sessão da câmara para a igreja), sem tirar as homenagens, etc. Eu não sou contra nada que a igreja faça de certo ou errado, bom ou ruim, mas o sr que diz ser crente há quarenta anos, e eu acho que deve ser desde 40 anos e nove meses, devia ter aprendido sobre a teoria do sim, sim. Não, não. Porque se não temos respeito a própria palavra, devemos pelo menos ter respeito às pessoas que ouve. Eu só não sei se as pessoas que estão nesta igreja hoje são as mesmas daquela época. Além disso, pastor, apesar do pr vilarindo fazer parte do circuito político de Brasília há muito tempo, não me lembro desta igreja ter eleito nenhuma pessoa para cargo (eletivo?). Lembro-me, porém, que há muito tempo ela empenhou-se o quanto pode para eleger o irmão AQuino, sem sucesso, mas também, o público desta era outro. Depois disso não lembro de ninguém que fizesse parte da liderança da igreja sair candidato. Ao longo do tempo muitos candidatos?!?! não, não muitos candidatos usaram o microfone e o púlpito para divulgar as suas imagens. Um que me lembro... bem, não foi motivo de orgulho.. Desculpe, mas sou responsável pelo meu voto e não faço questão alguma de ser os 25% ou os cinco mil que define eleição. Definir eleição visando que objetivo? Para que tanto acordo, se antes de sermos 25% fazemos parte dos 100% da população, que somos tão prejudicado quanto eles. Afinal de contaas, os evangélicos têm tão pouco para pedir como individuos. A igreja, pastor, em época de eleições não passa de uma lona onde os políticos ficam embaixo dela por um pouco de tempo, para esfriar, parar de andar, porque quando eles entram em uma é como se estivesse entrando em todas. É economia de tempo, economia de palavras, economia de caminhada. Revelando-se a uma, revela-se a todas. Quem em Brasília não tem comprometimento com a sua política e a forma como ela acontece? A igreja é apenas mais um membro de uma panela. Aliás, as pessoas falam, panelinha, pensando no que cabe dentro dela, talvez ainda no que acontece de benefícios que estão dentro dela. Mas, ninguém pensa na panelinha no fogo. Quem sai primeiro de dentro dela. A idéia de um cozimento é de que ele acontece simultâneamente, independente do fogo. O sr sabe que até hoje eu não entendi o porque da coroa do sr durval. A idéia é que todos estavam na panela, de repente, ele surgiu. É só isso, como o benefício, talvez como o tablete, o que dá gosto a carne. Imprescindível para quem não sabe dar gosto natural a comida. Mas o que estou dizendo? Quando se quer cozinhar o mais rápido possível, recorre-se a panela de pressão, onde não se vê nada, só vapor e cheiro. Como disse há cheiro natural e cheiro de tablete. Eu, desde que aprendi a cozinhar, jamais usei tablete, ele tem um quê de salgado, preciso dosá-lo eu mesma, o sal. Quanto a panela de pressão. Nunca! Prefiro gastar mais um pouco de gás, além do que, minha irmã, por causa dela, perdeu a visão de um dos olhos. Essa coisa de ventania de areia. Pelo menos é mais brando que uma explosão de panela. Se um cisco incomoda sendo num olho só, imagine nos dois. Não sei onde foi, outro dia, que a areia veio do deserto e invadiu uma cidade. Quanto por cento de pessoas crentes, no DF, são funcionários públicos? Os seus interesses são os mesmo da maioria da população? Eles realmente se preocupam com a cidade ou com a dança das cadeiras? E, depois, o que significa preocupação com a cidade? Estava escrevendo e pensando ao mesmo tempo: Quando os crentes votam, os funcionários públicos, eles estão pensando na cadeira, por quem ela vai ser ocupada, no seu resumido ambiente ou na cidade que pouco se usufrui dela? Por que cidade, amigos, não é só estrada para carros, pontes para carros, é cultura, é tradição, tem que ter cultura. O que incomodava Hamã no tempo de Assuero e que ele apresentou ao rei como justificativa para matar os judeus? Esta cidade, pastor, não é seca assim por causa da política, mas porque ela é uma cidade de classe, que depende de preservação, não do propalado meio ambiente, mas preservação dos cargos, da sua sala, da sua cadeira no emprego, e isso se repete na vaga do carro, na vaga do restaurante, na vaga na igreja, fora e dentro, do restaurante, fora e dentro vaga no concurso de quem está fora e quer entrar. É uma vida muito limitada para se viver numa cidade que, não é por causa da ausência da praia que é tão seca. É principalmente por falta da humanidade e essa humanidade só vem surgir, justo, na época das eleições, porque as pessoas têm suas vidas regradas de quatro em quatro anos? Sim, em todo lugar é assim, mas aqui é a entrega da vida por tão pouco. Brasília, nada mais é, por causa disso, uma cidade de sobressaltos. Pior do que que quem vive é área de riscos como nos são mostradas cada vez que chove muito aqui no Brasil, ou mesmo quem mora perto de vulcão., que tem problemas de quando em quando. Aqui, a cada quatro anos, aparece um quebra-molas na estrada. Crente-funcionário aprenda como é bom viver. Viver é entender que quem faz a cidade não é o Governador, distritais ou presidente, com leis e obras, pois é só nisso que eles trabalham. Quem faz a cidade sou eu, você, ele e aquele. às vezes, para o próximo prrecisamos apontar o dedo, mas é só porque, aquele, o que nos separa dele é só um pouco de distância, porque depois dele, meu amigo, só resta a TV, a internet, porque na internet se aquele existir é porque você está fofocando, porque na verdade, aquele é sempre o que está sofrendo crítica, e, se o chamamos assim, é só por um motivo: Não o conhecemos, ainda, às vezes, aquele é só o novato na sua sala de trabalho, da sua escola, da sua faculdade,ou quem sabe está à sua frente, ao seu redor. Às vezes, amigo, o próximo, o próximo mesmo, o de bem perto é o seu pior ammigo. Jesus disse isso de si mesmo: EU SOU AQUELE QUE HAVIA DE VIR? Dizendo ou não, porque ele disse isso? Pelo que ele sabia que diziam dele. O que se esperava de uma cidade em que o homem, presidente, gostava demais de carros? Desculpe, amigos, mas arquiteto, engenheiro de presidente, são empregados de presidente. Você vai deixar que um engenheiro, um arquiteto, defina como você quer, definitivamente, a sua casa? Brasília é sim, cidade para motoristas e, como motorista tem que morar. Qual seria a oferta melhor para se trazer pessoas para Brasília? Pistas largas. Qual era a velocidade controlada naquela época? GOOGLE! Antes era help. Na vida tudo muda! Nem tudo. Tem que seguir o mestre. Em Brasília nada e mais importante que o motorista. A gente só quer o que nos propícia benefícios. Logo, vamos às pistas longas e largas. Que eu saiba, pelo menos quando estive por lá, as estradas de Minas eram bem estreitazinhas.

domingo, 16 de maio de 2010

VOCÊ PRECISA DE QUÊ? Eu não sei de quem é essa música.

Sinal de um bom relacionamento é a concordância de opiniões. Não entendo o que há entre eu e o sr, somos tão díspares a respeito de determinados assuntos -e, pelo menos da minha parte - continuamos nos respeitando e nos querendo bem. Mas, não é importante, para que isso aconteça, termos sempre, as mesmas opiniões., afinal, acho que, tanto o sr como eu sabemos que para qualquer tipo de união dar certo é imprescindível convergência de opiniões, no entanto, aqui estamos nós, provando o contrário. A pergunta´, porém, que me faço é esta: Onde isso pode nos levar? Qualquer união existe para conduzir pessoas a algum lugar, e é aí que está o nosso problema, não estamos usando o respeito que temos um para com o outro para fins utéis. Sim, todo relacionamento é para um fim, crescimento, esse crescimento para que o sr imagina que sirva? Imagine uma árvore. Crescimento é para distribuição. Se o nosso respeito mútuo não serve para isso é porque estamos produzindo uma árvore infrutífera, mas se o sr alimenta-se dela como eu, estamos produzindo frutos. O poeta, o escritor precisa de inspiração para escrever, uma paisagem por exemplo, para mim, a sua existência é o motivo de eu escrever. Jesus é o motivo para muita gente escrever livros, mas Salomão, o que disse no final do Eclesiastes sobre livros? É enfado. Jesus não acha tão importante assim que se fale dele. Ele não quer ser o motivo de se escrever livros. Nós copiamos, até hoje, o que fizeram os discípulos, só que aquela época tinha que ser daquele jeito. Jesus disse que temos um (como é...)Ah! já sei, rejunte de tijolo que une um irmão ao outro. Não é mais a concordância de opinão que conta, não é preciso aparar ponta dos irmãos para ficarem todos da mesma altura, não é parede que temos que construir, sim, produzir uma árvore, e árvore, desde a raiz é desigual - se não me engano, iguais só mesmo as folhas - mas nunca parei para contar folhas existem em cada galho, se a quantidade é a mesma. De que serviria a árvore, os frutos se não tivesse quem se servisse dela. Em determinado lugar da Bíblia, Deus fala de uma árvore (não sei se do líbano), que era uma árvore presunçosa, orgulhosa, arrogante. São quantas as árvores cujos frutos estão ao alcance de um braço que se possa comer imediatamente? Aqui no bloco tem pé de abacate, pé de manga, pé de limão, pé de goiaba. Pergunto mais uma vez, De que serve a árvore e seus frutos, se não tiver quem se sirva dela? Não sou escritor que se acha o próprio, que considera-se importante, achando que seus livros são de autoria própria. Eu sou mera co-autora, do lado espiritual tenho instrutores. Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Quem disse que eles querem se relacionar com a gente com tanta seriedado? Eu deixo eles brincarem em mim, comigo. Mas de que serve isso se não tiver alguém que também experimente disso. Por isso sou mero co-autor. Jesus disse: Sem mim nada podeis fazer. Na verdade, o co-autor apenas ocupa páginas de um livro falando sobre um mesmo assunto sem poder divergir, mas quem nos uniu foi este rejunte chamado palavra e depois, depois a confiança. Quando certa feita o sr dirigiu-se a mim foi porque conheceu-a, antes. E confiança, confiança não se desmancha, nunca, esperança é uma letra que não se apaga, e ela não precisaa ser confirmada. A gente só precisa sentí-la. É como mergulhar nas águas e ir até o limite do suportável, não existe nada igual.Sem escarafandro, claro. É escarafandro que fornece oxigênio para quem pensa estar vivendo altar aventuras no fundo do mar? Desculpe, para experimentar a sensação, basta a superfície.VocêVO

sábado, 15 de maio de 2010

PROGRAMA UM NOVO DIA

Existe, de verdade, para´nós, quatro tempos. Ontem, hoje, amanhã e sempre. "No princípio era o verbo e o verbo estava com Deus e o verbo era Deus". Que me desculpe o autor bíblico, mas leitura é condição de liberdade. Quem estava no princípio foi Eu. Resolvi tirar o verbo e colocar "?" Se só eu/ele estava lá quem pode falar de mim/dele? O presente tem quatro tempos: ontem, hoje, amanhã e sempre. Técnicamente, para estruturação da gramática, do verbo, os mais conhecidos são: Passado, presente e futuro. Para dar sentido à nossa existência, para justificá-la no tempo em que estamos vivendo - presente - criou-se, por causa da busca pela origem, o passado, o qual por mais que se busque mais distante ele se torna. O presente é atemorizador. Quando ouvi o sr dizer: " Não temos nada em nós que sirva para mudar a nossa natureza", Retruquei no ato - Não tínhamos, ou então estamos negando a eficácia do que Jesus fez ou desqualificando o valor de todo o seu trabalho para que nos fosse enviado o Espírito Santo, ou ainda, pela tamanha importância que é dada aos ensinos de Paulo, o sr estaria contrariando o que ele disse. Nós temos a Mente de Cristo.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Haiti Grécia Eu não quero ser indócil, mas estou achando que sou mais crente do que penso. Estamos tão ausentes disso. Não,não do sinal dos tempos, mas de revelação. Jesus não quis dar sinal, no entanto fez revelações sobre o futuro no que diz respeito ao fim. Eu quero revelação. O que é revelação? Surgimento. Brasil surgiu numa lista entre países chamados grandes. Isso é ótimo. Isso representa para quem o quÊ? Ou seja; é sinal de quê para quem? Desculpe, eu gosto de achar o que não está escrito ou foi omitido do texto, intencionalmente ou não. Onde se tem escrito GOVERNO a leitura tem que ser muito mais apurada. Às vezes, onde se diz, se esconde, e resultado é feito de acréscimo ou decréscimo, sempre, para as partes. Por que que toda vez que há problema econômico somos todos pegos de surpresa? A revelação que é constituída de gráficos engana tanto quanto a máquina que informa sobre a meteorologia. Porque o problema econômico acontece assim, como um helinho, só que o helinho só aparece depois da tragédia, como responsável. A economia, hoje, para qualquer acontecimento, a desculpa é o que ocorreu tempos atrás nos Estados Unidos. O que é isso? Uma balança para equilibrar todos os países. O pesinho que colabora para o desquilíbrio são os Estados Unidos. Antes ele era um peso que para desestabilizar a balança era preciso muitos pesinhos e era sempre, por causa desses pesinhos que o peso dos Estados Unidos eram o que produzia o equilíbrio da balança. Portanto, não estamos tratando com sinal dos tempos, mas sim com mudança e, para mudança não há sinal. Há mudança, há trajetória, e lá vem o gráfico que é fundamental. Por que a idéia é, quem cai consegue se levantar? Como? Eu por exemplo, quando vejo acontecimentos em relação países, vejo como aquele jogo de dominó, onde eles são colocados em pé e caindo um o que vem em seguida também cai e assim sucessivamente, por causa da forma como estamos todos interligados, o que é ameaça para um é ameaça para todos os países. Pela Grécia, grande mobilização para socorrê-la. O que há de diferente entre a Grécia e o Haiti, os valores para reconstruir uma e outra? No Haiti não se falou em onerosidade para o povo. Já na Grécia... É claro, que os valores, comparando um e outro. O problema da Grécia está pautado em gráficos, o do Haiti é de estrutura física. Uma balança, para quais destas duas é necessário ou tem o pesinho do Estados Unidos? Agora temos dois responsáveis por todos os problemas da terra, um é o pesinho dos Estados Unidos, e outro é o aquecimento global. Todo mundo contava com a queda dos Estados Unidos, queda trágica nesse aspecto. Ele, comparado com a queda da Grécia,no aspecto econômico, continua sendo um pesinho. Às vezes, mesmo sendo um pesinho continua sendo o fiel da balança. O pesinho é parte fundamental. Quanto se precisa de fermento-trigo para levedar uma massa? É tudo questão de peso quando não se trata de gráfico. Aliás, tudo se transforma em gráfico. Se duvidar, até Deus trabalha com gráficos. Quando pretende fazer o bem ou retirar o bem. Para Deus nada mais é do que mudar uma situação de favorável para desfavorável - e não é esta a leitura e um gráfico? E afinal, não é assim que todos vivemos em circuito menor ou maior? De qualquer proporção se faz um gráfico. Estava escrevendo e me veio à mente algo mais simples. Quando estamos esperando alguém que convidamos para visitar a nossa casa, não sabemos exatamente quando começamos a esperar por ela. Lembrei-me de Elias e a pequenina mão. Quanto tempo durou aquelas sete vezes Pastor, todo mundo sabe o que é esperar e o que é que cada um sente enquanto espera, e o que é que a gente faz. A gente começa olhar cada vez para mais longe.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

censurado

Continuação... E o sr, espiritualmente, tem que mostrar a cada dia o seu crescimento. De fato, espiritualmente, o sr tem demonstrado, me desculpe, o que Paulo diz: ...aquele que ainda bebe leite..., e isso, de certo modo é inadimissível. O sr sofre demais, sente demais, mais até do que - como o sr diz - as suas ovelhas. Curioso Paulo ter dito leite, porque lá devia ser costume o leite e não o mingau. O leite que paulo falou não era como hoje, industrializado. Mas porque ele resolveu falar do leite? Porque bebemos leite eu não sei, mas o leite tem aquele um quê de ruim, pelo menos eu acho. Tem um quê de salgado. Como sentindo estes gostos todos continuam bebendo leite? Porque quando criança bebe leite ela se sente o sabor próximo do leite da mãe. Eu não gosto de leite porr causa do quê de gosto ruim que ele tem, aquele tom um kquê de sal que ele tem. Imagine leite de vaca o qual Paulo está se referindo. Porque, ou é esse ou é o da mãe. Pastor, saindo do leite, Paulo disse para onde deveríamos ir? Não lembro,estou sem Bíblia. Como qualquer criança, do leite a gente passa para as verduras e legumes. Para criança isso não é amadurecimento, é desenvolvimento, crescimento. Como qualquer criança que deixa o leite e vai para as verduras, também, nós, quando abandonamos o leite espiritual é porque, simplesmente, amadurecemos, como Daniel. O que significa o gesto de Daniel em preferir verduras ao banquete? Sinal de amadurecimento. E amadurecer é ter entendimento. Abandonar o leite é fazer o mesmo que Daniel. Abandonar o leite, é deixar de se sentir frágil. Tanto faz o leite dee Paulo ou o banquete de Daniel, ambos são as mesmas coisas. Sabe-se lá, quanto tempo Daniel já sentia no banquete (afinal ele não era pessoa comum) o mesmo gosto quase amargo do leite? Paulo não mostrou o caminho pós-leite. Daniel mostrou o caminho pó-verduras. Chega, Pastor, dessa auto piedade, dessa comisseração. Isso é para quem insiste em beber leite. Tanto o leite como as verduras, ambas simbolizam início. Só que o leite tem princípio e fim quanto a extrema necessidade, enquanto que as verduras tem início e permanência é para sempre. Então existe uma aprendizagem que é essencial. O essencial também, é básico. E o leite, sem ele não dá para continuar, mas só com ele não dá para ficar. O sr sabe que muitos pastores, aliás, os pastores escolheram ficar apenas com o leite por mais tempo de pastoreio que se tenha? Eu vejo isso. é desse modo que eles submetem as pessoas a não chegarem nem mesmo na porção ideal do leite para tomar. É porque tudo tem porção. Paulo falou de leite e não da porção, não da quantidade. Hebreus 5.12-13. Quando somos iniciantes em qualquer coisa beber leite, o beber leite nos torna iniciantes, sempre. Qual é o interesse de qualquer líder, qualquer representante, órgão, organismo, instituição? Que aceitemos ser mantidos a leite, o qual são eles a dosarem. Para qualquer líder somos vistos e tratados como iniciantes o tempo inteiro, mas o problema não é o leite citado por Paulo, sim a dosagem a qual e não mencionou. Se os pastores, ainda hoje, sujeitam-se, bebendo leite, sem mostrar a dose, fico pensando que quantidade de leite eles oferecem para que as pessoas continuem ainda iniciantes. Às vezes, é difícil para criança mudar de um tipo de alimentação para outra, do líquido para o sólido, por exemplo, do leite para a verdura, tanto que precisamos recorrer a famosa Papinha, que nada mais é que verduras amassadas. Eu queria que os pastores, pelo menos saissem do leite para a papinha de verduras, porque, quando se passa do leite para a papinha é por necessidade física, estrutural interna e externa. E, esse menino a quem Paulo se refere, é criancinha mesmo. Ele assinalou o que seria uma criança que se recusa a passar para a outra etapa da alimentação. Ele disse: "qualquer ainda que se alimenta de leite não está experimentado na palavra da Justiça". Ele não disse: Experimentado na palavra, mas "na palavra da justiça". Prestou atenção ao acréscimo? Experimentado na palavra (leite), como tem sido até hoje. "...Experimentado da palavra da justiça" (papinha) Palavra da Justiça (papinha) O que contém uma papinha? Quando se pensa em papinha não se pensa na criança que está se desenvolvendo, mas no adulto, pensa-se como regressão, pensa-se naquilo que não se quer, que tem certeza que não se quer. E não é voltar ao que já foi antes, isso por causa de uma etapa que saltou. Porque pastores solta do leite para o maná do deserto, pois o maná era comida, tanto para o adulto quanto para a crianças. Os pastores trocaram a papinha pelo maná. O que significa o maná do deserto? Sou Eleito. Sou Privilegiado. Veja isso que Jesus disse. João 6.45, 49-50.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Não duvide. Por um amigo eu sou capaz de dar a minha vida pela vida dele. Mas isso eu sei é pouca coisa, Jesus fez muito mais. Ele deu a vida por pessoas que ele nem conhecia. Porque pessoas que ele nem conhecia ao invés de inimigos? Não conhecer significa não ter sentimento algum. Mas ele disse que muitos estão fora do aprisco. Ou seja; estão distante, longe da tua proteção. O que quer dizer longe da tua proteção? Uma pessoa só precisa de proteção quando está sofrendo ameaça. Pode visualizar ovelhas dentro de um aprisco? Só o fato de haver um cercado já indica proteção. Mas, engraçado, Jesus não se apresentou de maneira alguma como o protetor do povo.Ele só se apresentou como protetor quando orou a Deus. É, me lembrei da mulher adúltera e na multiplicação dos pães, em nenhuma outra situação ele apresentou-se como protetor individual ou coletivo, ah, quando os discípulos foram criticados por estarem comendo (acho que foi milho). Daí dá para entender o que seja protetor? Eu já disse que a proteção é necessária quando a pessoa está sofrendo uma ameaça, um risco. Mas as pessoas não vivem o tempo todo sofrendo ameaças ou correndo riscos, exceto, se elas forem pessoas de alto nível. Mas, o que significa proteção? proteger é evitar, evitar que caia, que machuque. Nisso eu estou falando de proteção física. Existe um outro tipo de proteção, que é proteção dos bens que possue. Jesus não tratou nada disso sobre proteção, tanto que ele até sezangou quando aquele homem falou com ele a respeito de divisão de herança. Será que Jesus era limitado nesse sentido? Quem deu garantias a ele que dizendo para deixar os discípulos em paz, os soldados atenderiam? É o tipo do conceito. Prendendo o Mestre os discípulos não teriam coragem de continuar. Não, amigo, não é a mesma coisa dar a própria vida e proteger. O que é proteger? Proteger é constante, Dar a própria vida é uma ação única, claro que estou seguindo o conceito do que Jesus fez. Proteger implica em que o trabalho consiste em proteger o objeto, a pessoa e a si próprio, aliás, proteger a si próprio é o primeiro passo para proteger o outro. A Gente às vezes assiste muitos filmes em que o segurança lança seu corpo sobre o da pessoa a quem ele tem que proteger sendo atingido em lugar dele. Jesus não fez isso naquele tempo, será que ele fez isso por nós? O básico é que, quando estamos afastados estamos longe da sua proteção. E o que é proteção de Jesus Hoje? Eu lembrei de Paulo, onde ele diz entre outras coisas sobre o capacete. Foi a nós que Jesus colocou como protetor daqueles que não estão no aprisco. Mas, que tipo de ensinamentos precisamos para nos tornarmos protetores? Como vamos sair por aí nos apresentando como protetores? Primeiro que as pessoas (perdidas), diante de um protetor considera-se superiores, sempre. É por isso que, mesmo na vida real, "protetores", precisam vertir-se adequadamente e apropriarem-se de armas para, tanto intimidar o que precisa de proteção, quanto o que mostra ameaça e risco. Foi assim que a igreja foi constituída, não foi/é bastante Jesus, um nome apenas. é precisa ostentação por cima de ostentação, para demonstrar a devida proteção. Sobre o que eu estava falando? Que Jesus, tirando três momento, jamais demonstrou que estava por ali para proteger pessoas. Na verdade proteção corresponde ao que Jesus disse, sobre "ficar em pé/estar em pé quando da sua volta. Eu mesma, pensando, qual foi a proteção que Jesus me deu? Se o que a igreja nos ensina, por causa do que está escrito no novo testamento é cura? Acontece que todos nós precisamos de cura, seja moral, seja emocional, seja mental, seja de enfermidade, ou seja, apesar da Bíblia só tratar de curas físicas, as curas que primeiramente precisamos são: moral, emocional, mental. O que nós vemos mais representados na Bíblia no novo testamento, foi o caso de Zaqueu e nenhum mais, que foi escrito, pelo menos. Imagine uma pessoa perdida moralmente, emocionalmente e mentalmente? Como o Senhor pretende que a protejamos? E o que uma pessoa dessa precisa é de proteção? Como protege-las? O que foi que Jesus fez em relação a Zaqueu? Ele protegeu Zaqueu. Como? Entrando em sua casa. Expondo-se, ou seja, não teve medo de que faíscas pegassem nele. A única maneira que existe de se proteger alguém é dando o que é seu para ele. Foi a idéia de Saul, de Jonatas, mas isso é físico, tangível, palpável.Foi isso que Jesus fez com Zaqueu. É assim que podemos fazer com as pessoas. É por isso que precisamos nos encher cada vez mais daquilo que possamos dar aos outros, para segurança, que lhe seja de benefício.
DAvi e os valentes (água)
Jesus e os discípulos (Oração x Oliveiras)
Jonatas e Davi Eu velo pelos meus amigos e os protejo até de mim. Às vezes, querendo dizer o máximo a gente fala o mínimo. espero que entenda

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Que pena, não conegui colocar, aqui, a imagem de um poste.
Ah, por favor, entenda, foram alguns movimentos para ele estar aqui. Até pensei naquele homem, como é mesmo o nome dele, que ficou olhando a maçã caindo da árvore. Que conhecimento ele construiu? É regra de ensinamento: Na dúvida, repita.
Estou aqui, aqui, aqui, aqui,clique
Na procura, não achando, vasculhe.
Eu só penso na história de uma mulher que tendo perdido uma moeda dentro de casa resolveu procurar no lado de fora onde havia luz, os vizinhos vieram ajudá-la e perguntaram: Onde foi mesmo que você perdeu a moeda? E ela respondeu, foi lá dentro de casa. Mas porque você está procurando do lado de fora?
Eu não lembro qual foi a resposta da mulher (no momento), mas uma coisa é verdade, se essa fala fosse minha eu saberia o complemento da história/estória.
Para obter a resposta, agora, eu estaria me denunciando. Se estou fazendo B é porque não estou fazendo A. Se não estou fazendo A é porque estou considerando B mais importante. A gente não faz nada que não passe por uma avaliação perante o outro.
Aprender é uma constante, por isso muitas vezes turva-se o saber dos outros.
O que é um saber turvo? É fugir da avaliação, porque avaliação exige justificativa, e, o saber turvo nada mais é que uma falsa explicação.
A resposta da mulher foi esta. Porque lá dentro está escuro e aqui tem luz.
A gente pode muito bem fazer isto. Dar respostas o tempo inteiro.
Eu digo o que fiz. Só o que fiz, não porque fiz, o porque fiz, muitas vezes fica por conta do ouvinte/leitor. Sabe aquele exame de olhos em que o oftalmologista manda que a gente olhe para dentro de um negócio parecendo uma areinha com um número com cor diferente? O porque, na verdade, fica por conta do que/quem ouve/lê/vê.

domingo, 2 de maio de 2010

TEMPORÁRIO 1

Se temalgo que me dá bastante alegria, diáriamente, é dar BOM DIA para as pessoas que cruzam o meu caminho - que é obrigatório. Ests pessoas que só me conhecem naquele breve momento, querendo ou não, são juízes meus. Sei que tem pessoas que sonegam a fala, um breve cumprimento a outra pessoa. Desde que esse texto chegou a mim, agorinha de manhã, quando transferi para o papel, o que me veio à mente? O bom samaritano. Porque a parábola, na verdade mostra que o outro é sempre o nosso juiz, quer o conheçamos ou não. O caminho daquele homem era caminho obrigatório para eles. Outro dia, bem próximo daqui, vi três rapazes, um deles deitado, meio atordoado, tinha a cabeça nas mãos de outro que a colocava na altura do pênis e fazia movimento que demonstrava imoralidade, eles quizeram de me defrontar, porque, verdadeiramente, me preocupei com o rapaz. No dia seguinte encontrei-os de novo, desta vez eram quatro, todos com trejeitos, Fiquei feliz pelo rapaz, parece que eles eram amigos. Fiquei feliz porque pensei que no dia anterior ele estava daquele jeito por que havia sido dopado deppois de ter apanhado. Nem posso questionar se era droga o caso dele, não compete a mim. Mas a verdade é que a gente, verdadeiramente, se sente responsável - não somente por aquilo que cativa - como diz Exupéry, mas por tudo o que faz parte do nosso universo, não importa o tamanho dele, mesmo que só caiba nele um baobá, uma rosa e um menino. Eu me sinto responsável por todas as pessoas que encontro no meu caminho, como deveria ser com aqueles homens que agiram contrário ao bom senso, principalmente, sendo eles quem/o que eram. Pois como eu disse, cada pessoa que encontro é juiz de mim, ela me remete a quem eu sou, a/ao quem estou sendo/o que estou fazendo, de certo ou de errado. Assim foi para com aqueles homens em relação ao ferido. O que ele demonstrou ao ferido? Desamor, impiedade. Eu peço a DEus, para situação como esta não aconttecer comigo, pois só imagino esta cena no escuro, e nos dias atuais... Acredita, eu me sinto mais responsável pelos que cruzam comigo do que com aqueles com quem cruzo dentro do supermercado. Esses não se sentem necessitados de proteção. Porque proteção é ser conhecida o máximo possível por pessoas, não por pessoas uniformizadas. Se meu universo é restrito, meesmo assim acho importante que as pessoas me conheçam, imagine pessoas que são conhecidas pelas suas atividades públicas? Elas são como uma bacia de leite. o pingo de qualquer outra cor mancha todo o leite. Daí o preservar(-se) a vida, da vida, quando se vê, está se vivvendo encurralado, sem a plena liberdade. É o preço que se paga por tornar-se pessoa pública, afinal, quanto menos juízes melhor. (Infelizmente, ocorreu uma interrupção e eu não resgato texto, ele é concebido)